RSS

sexta-feira, 4 de maio de 2012

Adolescentes.




Que adolescente é um ser que dá trabalho todo mundo sabe, desde que o mundo é mundo. Mas ultimamente eles têm ultrapassado todos os limites. Conheço casos específicos, mas não é deles que pensei em falar.

Trabalho ao lado de uma academia de ginástica (e afins - e isso daria um outro post) e bem perto de uma escola Estadual de ensino Fundamental II (o antigo ginásio- e isso nem é da minha época...rs) e Médio (o antigo colegial).

Quase todos os dias chego para trabalhar na hora em que estão indo para a escola, e ainda vejo uns chegando para "malhar". O que vejo é um circo dos horrores.

- Meninas fazem desfile de moda. Não devem ter nem roupa "boa" para sair (sim, eu tenho roupas de ficar em casa e de sair), porque usam tudo na escola, pra mostrar "prasamiga". Quedê o bom e velho uniforme, minha gente? Eu estudei, da 1ª à 8ª série numa escola muito rígida nesse quesito. Uniforme era obrigatório, inclusive meias brancas e tênis da cor do uniforme. Na época eu achava aquilo chato, mas hoje vejo que foi o melhor, com certeza. (Nota mental: quando tiver que matricular Ana Elisa em outra escola, verificar se o uso de uniforme é obrigatório).

- Cabelos ridículos, tanto de meninos quanto de meninas. Que eles queiram andar na moda, tudo bem. Algumas meninas acordam cedíssimo pra fazer chapinha, até aí tudo bem também. Mas outros usam e abusam do gel, ficam ridículos e acham que abafam. Quedê a mãe dessa gurizada e o espelho da casa deles, minha gente?

- Maquiagem do Patati Patatá. As meninas se pintam (isso mesmo, pintam, não maquiam) e ficam verdadeiras palhacinhas. Carregam tanto no blush que a gente não sabe se ri ou chora. São tão novas, não precisam disfarçar nem realçar nada! Quedê o bom senso e a mãe dessas meninas, minha gente? (novamente).

- Som altíssimo, gritos e amassos. Eles criam grupos por afinidade, como é desde que o mundo é mundo. Há o grupo dos que vem pra escola com o celular em mãos ouvindo música (música? será?) da pior qualidade no último volume (em alguns casos vem de carro, aí o som é ainda mais alto). Há o grupo das meninas histéricas, que gritam quando vêem "asamiga" e riem feito hienas. Há o grupo que faz as duas coisas citadas anteriormente ao mesmo tempo. Há o grupo dos quietos (é raro, quase em extinção, afinal pra ser popular tem que aparecer). E há o grupo dos que já namoram, e protagonizam cenas calientes nos muros dos vizinhos plena 7 da matina. Tá, cada um quer expressar sua personalidade, mas pra tudo há limites. Ou não? Quedê a mãe dessa meninada que não orienta, minha gente? (Bom, deve estar armando algum barraco com "asvizinha".

Esses são alguns itens do que observo. A lista seria muito maior, mas aí nem eu leria...rs. A escola tem culpa? Em parte, sim. A meninada tem culpa? Em parte, sim. Mas, os pais são os maiores culpados? Na minha humilde opinião, com certeza! Vê se eu ia parecendo o Bozo (sim, sou dessa época) pra escola. Não, minha mãe não deixava. Claro que os pais não tem que podar tudo, tem que deixar os guris se expressarem. Mas bom senso e canja de galinha não fazem mal a ninguém, certo?

Por isso digo e repito. Os pais ajudam a "moldar" o caráter e o comportamento de uma pessoa desde cedinho. Porque não adianta deixar ao "Deus dará" e depois querer tirar o atraso. Às vezes acho que podo demais, mas faço isso pra não chorar amanhã. Sabecumé?

E você, o que acha? Como é na sua casa? Esse é um bom tema pra refletir no final de semana.

2 comentários:

Dri Viaro disse...

Bom dia :)

Passando pra desejar um fim de semana abençoado!!

beijoss

www.driviaro.com.br
www.ameliasdesalto.com
www.ateliefesteiro.blogspot.com

Anônimo disse...

é verdade Tati.........as coisas mudaram e pra pior!! temos q ter muito cuidado na educação das nossas filhas........bjs e boa semana
Paula Scavone

Postar um comentário