RSS

sexta-feira, 31 de dezembro de 2010

Feliz 2011!!!



Nada de listas.

Nada de promessas.

O que vale mesmo é a boa energia, os bons pensamentos e o esforço, para que o ano que está nascendo seja maravilindo!!!

Não se reprima, como diriam os Menudos. Cante, dance, ria, chore, grite, brigue e faça as pazes. Só não deixe o ano passar em branco. Afinal, temos que ter histórias pra contar.

Estamos em férias, na casa da sogra. Prometo postar assim que possível.

Mais uma vez: Feliz e abençoado 2011 para todos nós!!!

Beijomeliga.

segunda-feira, 27 de dezembro de 2010

Reflexões.




Pra refletir: parte I.

Podemos acreditar que tudo que a vida nos oferecerá no futuro é repetir o que fizemos ontem e hoje. Mas, se prestarmos atenção, vamos nos dar conta de que nenhum dia é igual a outro. Cada manhã traz uma benção escondida; uma benção que só serve para esse dia e que não se pode guardar nem desaproveitar.



Se não usamos este milagre hoje, ele vai se perder.


Este milagre está nos detalhes do cotidiano; é preciso viver cada minuto porque ali encontramos a saída de nossas confusões, a alegria de nossos bons momentos, a pista correta para a decisão que tomaremos.


Nunca podemos deixar que cada dia pareça igual ao anterior porque todos os dias são diferentes, porque estamos em constante processo de mudança.
 
(Paulo Coelho).
 
Falou e disse.

sexta-feira, 24 de dezembro de 2010

Natal.




Mais uma vez, chegou o Natal.

Esse ano será diferente. A nonna não estará aqui, pelo menos fisicamente, pra comemorar conosco. E a reunião familiar será na minha casa, pela 2ª vez (fico me sentindo gente grande quando comemoramos aqui...rs).

Mas o que quero dizer pra vocês é o seguinte. Com ou sem presentes. Com ou sem peru. O que importa é o amor, a confraternização e a paz na família.

Abrace apertado, beije, sorria e demonstre o que de mais belo vai dentro do seu coração.

Porque Natal não é apenas a troca de presentes e o panetone. É a vinda do Salvador, aquele que nos faz lembrar que, mesmo nos lugares mais humildes, um rei nasce.

Feliz Natal à todos vocês, que me acompanharam esse tempo todo!

E que esse espírito de paz e fraternidade não dure apenas uma noite, mas todos os dias de nossas vidas!!!

quinta-feira, 23 de dezembro de 2010

No ar!




Já está no ar o Psicodelia natalino!

Acessem: http://www.psicodelia.net/

E leiam a coluna da Tati, muito boa ela...rs

Beijos.

terça-feira, 21 de dezembro de 2010

Rose.



Ainda falando sobre minhas amigas que passaram do virtual pro real, hoje é a vez da Rose. Aliás, hoje é niver dela. Parabéns amiga!!! E muita meditação (abafa o caso...rs).

Como nos conhecemos? Bem, nesse mesmo fórum de grávidas, a Rose abriu um tópico perguntando quem era do ABC Paulista. E eu me manifestei.

As coincidências também eram muitas. Ambas moravam na mesma cidade, estavam grávidas de meninas e a DPP era a mesma, 10 de setembro de 2008.

E papo vai, papo vem e o tempo passa. Ela tinha tudo pra ter um parto normal, e eu uma cesárea (por vários motivos). Uns dias antes do meu parto eu sonhei. Eu estava entrando no hospital pra fazer a cesárea e ela estava lá. Teríamos as meninas no mesmo dia. Escrevi isso pra ela e não nos falamos mais.

Depois dos partos e de toda a loucura dos primeiros dias, voltamos a falar. E qual não foi minha surpresa quando soube que a filha dela. Lisandra, realmente nasceu no mesmo dia da minha Ana Elisa!!! Ah, agora só falta sonhar com os números da Loteria...rs. A Rose entrou em trabalho de parto, mas acabou tendo que fazer uma cesareana no final daquele dia 6 de setembro. Então a Lisa é só algumas horas mais nova que a Ana Elisa.

Quando a Lisa tinha 3 meses, ela, a filha e o marido mudaram pra Holanda, pois o marido foi transferido. Mas não perdemos contato. Nos vimos um pouco antes da viagem deles, conversamos muito via Internet durante todo o ano seguinte e nos revimos no final do ano passado. Eles são uns amores, nos trouxeram presentes fofos e deixaram muita saudade.

Ano que vem eles vem pro Brasil, e eu já tenho mil planos pra nos divertirmos (churras pro marido e pizza com catupiry pra Rose, além da bagunça entre as gurias...rs).

Rose, parabéns, e obrigada pela amizade!

domingo, 19 de dezembro de 2010

Taty.



Como já escrevi algumas vezes, tenho muito amor pelos meus amigos. E amigos do peito, daqueles por quem mataria ou morreria (ainda bem que tenho amigos advogados...rs).

Quando descobri que estava grávida, comecei a pesquisar na Internet sobre tudo. E acabei achando um fórum de discussão sobre o tema, que me rendeu muitas colegas virtuais e duas amigas que viraram reais.

Um dos tópicos de discussão era sobre mamães que engravidaram muito acima do peso ideal. E eu super me identifiquei com o tema (jura, nem percebi...rs). A criadora era Tatyana, quase minha xará.

Tínhamos muito em comum: quase a mesma idade, maridos com paciência de ouro, grávidas de meninas, professoras, com personalidades fortes (marrudas não...rs) e gordinhas gostosas..rs.

Nossas filhas estavam previstas pra setembro, a dela dia 6 e a minha dia 10. Mas ela teve que antecipar o parto, e a Giovanna acabou nascendo dia 21 de agosto. Linda, morena, cabelos pra dar e vender e uma boca desenhada por Deus.

Conversamos muito, sobre tudo. Os medos, as incertezas, o amor incondicional, auto-estima, etecétera e tal. Tivemos o mesmo problema pra amamentar, e nos demos força. Afnal, mãe não é apenas um par de peitos, né.

Acabamos nos conhecendo pessoalmente quando as pequenas tinham por volta de 8 meses. E de lá pra cá participamos muito da vida uma da outra: aniversários lá e cá, almoços lá e cá e muita risada!

Taty, nem sei como agradecer tanto carinho!

sexta-feira, 17 de dezembro de 2010

E o pior...




... é que o ano está acabando, mas acabando mesmo, e eu ainda tenho coisas que quero ou preciso fazer.

Nunca pedi um dia com mais horas, mas nesses dias eu bem que precisava.

Coisas inadiáveis, coisas fúteis, vontades. Como libriano é indeciso, pelamor!

Exemplo? Quero fazer uma tatuagem (sim, posso fazer ano que vem, mas queria fazer ainda esse ano), quero encontrar amigas queridas (e dá-lhe desova da baleia), quero ir ao cinema (tá, mais fácil resolver), etecéteraetal.

O que me impede de fazer isso e muito mais? O tempo, nosso velho amigo e rival. Só sairei em férias dia 22, aí tenho as coisas do Natal (comes e bebes) pra comprar, depois malas pra fazer e depois casa da sogra.

Então, exceto se eu fizer algumas coisas da meia-noite às seis, impossível dar conta de tudo.

Alguém me ajuda?...rs.

quarta-feira, 15 de dezembro de 2010

Balanço geral.




Já parou pra fazer seu balanço desse ano?

Hum, difícil missão. Deixa eu pensar....

- Minha sogra mudou pro interior. Consequentemente, nunca viajei tanto de carro...rs.

- Minha nonna faleceu. Ficou um vazio que nem sei explicar.

- Passamos por situações complicadas, em vários aspectos. Mas, como disse, elas passaram.

- Discuti com amigos queridos, mas fizemos as pazes.

- Abri os olhos pra um monte de coisas que me faziam sofrer a toa.

- Li muito mais livros do que imaginei conseguir.

- Aprendi a ser mais racional na hora das compras (eita coisa difícil)

- Cuidei mais das minhas plantas, e vi que isso me faz um bem danado!

- Troquei de óculos, e achei o máximo!

- Fiquei ruiva, coisa que estava doida pra fazer.

- Estou curtindo a gravidez de várias amigas. Eita coisa gostosa!

- Vi minha filha crescer ainda mais, ficar mais sapeca e mais linda!!!

E você, o que fez nesse ano?

segunda-feira, 13 de dezembro de 2010

Festa de Encerramento.



Participo de festas de encerramento de escola infantil há muitos anos. É sempre uma correria: bolar o tema, montar coreografias, ir atrás de fantasias, ensaiar, planejar e confeccionar decoração, montagem, festa em si e desmotagem.

Ufa! Só de escrever já cansa...rs. E tudo isso lembrando que estão envolvidas crianças pequenas, que são imprevisíveis.

Esse ano foi o terceiro em que eu sou mãe. No primeiro eu ajudei muito pouco, afinal estava em licença maternidade. No segundo Ana Elisa participou bem pouco, afinal era um tico e dançou o que estava a fim.

Já nesse ano, a coisa mudou um pouco. Ela ensaiou com a turma dela e o ballet também. Mas, temperamental que só ela, ensaios só quando estava a fim. E o que mais eu ouvi foi: "Ela não quis ensaiar", ou ainda "Ela ensaiou só o que quis".

Ai ai ai... não dá pra pegar muito no pé de uma criança de pouco mais de 2 anos, mas também não dá pra deixá-la fazer o que bem quiser. Então conversei muito com ela, elogiei, mostrei a fantasia e torci pra que ela dançasse...rs.

No começo da festa ela não queria papo com ninguém, e eu logo imaginei que não faria nadica. E qual não foi minha surpresa. Ela não só dançou, mas arrasou! E isso não é só porque sou mãe coruja, mas ouvi os comentários dos outros pais. No ballet ela foi uma lady, toda classuda, incorporou sua xará Ana, mas a Botafogo.

E nas demais apresentações, ela esbanjou charme, energia e alegria! Nem preciso dizer que fiquei com os olhos marejados, pois não importa que eu já tenha visto várias festas, essa foi a minha primeira, oficialmente, como mãe de aluna!

sexta-feira, 10 de dezembro de 2010

Tempo.

Uma das artes recentes...rs. Haja paciência!

"Tempo, tempo, mano velho, falta um pouco ainda, eu sei. Pra você correr macio..."

Tempo... quem inventou isso? Medir as horas, os minutos, os segundos, os dias, os meses, os anos...?

Estou numa correria de dar gosto, ou desgosto, dependendo do ponto de vista...rs

Confraternizações, festa de encerramento da escola, fim das aulas (eba!...rs), preparativos pro Natal e pras férias (eba parte 2...rs), filha, casa, marido, etecéteraetal.

Ufa! Por isso ando meio ausente daqui e dos blogs amigos.

Mas prometo, de pés juntos, que volto em breve. Eu sempre volto!

Um beijo e um queijo.

terça-feira, 7 de dezembro de 2010

Amigo secreto.




Lembram que eu falei que a Lilata estava organizando o amigo secreto entre as crias das mamães blogueiras?

Pois bem, depois de muita curiosidade, o mistério foi desvendado...rs.

Quem tirou a Ana Elisa ainda está na barriguinha da mamãe, é o bebê da Thaís, do Aprendiz de Mãe. Ele, ou ela, deu um conjunto de maquiagem pra bonecas, e a Ana amou de paixão! Jà maquiou as bonecas, a mamãe e até o papai...rs. Obrigada, de coração!

E a Ana Elisa tirou o André, filhote da Renata, do Lilata e os Gatos. Como eles tem a mesma idade, procurei algo que Ana gostasse. Então dei uma vaquinha fofa, que tem umas formas geométricas pra encaixar. Espero que ele tenha gostado.

Então é isso, gente amiga. Amamos participar da brincadeira. E ano que vem tem mais!

domingo, 5 de dezembro de 2010

Curiosidades.




Esse simples blog não tem a intenção de ser grande ferramenta de pesquisa, nem de ter um milhão de seguidores e nem coisa que o valha.

Criei o blog pra pôr pra fora tudo aquilo que vai aqui dentro, pra partilhar experiências, pra desabafar, pra fazer minha higiene mental.

Agora, confesso que adoro fuçar nas estatísticas do Blogger. Por exemplo:

- A maioria dos acessos vem do Brasil, course. Em segundo lugar está a Holanda (obrigada, Rose...rs). Agora, gostaria de saber quem é você, ilustre visitante, que mora nos Estados Unidos, em Portugal, na Bélgica, em Angola ou na Itália.

- Muita gente digita as tais palavras-chave e acaba caindo aqui. Eu entendo que veio parar aqui por digitar "sono diurno", ou ainda "chá de bebê". Mas quem digitou "pressão 14x9", "Tatuagem" ou quem sabe "transparência", com certeza, não buscava um blog como esse...rs.

Seja como for, quero agradecer a todos vocês, que perdem minutos sagrados do dia corrido e prestigiam essa simples camponesa de nobre coração blogueira!

sexta-feira, 3 de dezembro de 2010

Limites - parte 2




Minha amiga Rose fez um comentário pertinente sobre meu post a respeito de limites. Ela disse que deixa a filha, Lisa, que por acaso nasceu no mesmo dia da Ana Elisa (isso vale um outro post) escolher a roupa que quer vestir.

Então, percebi que pareci meio ditadora nesse quesito, e não é bem assim. Vou explica melhor o que penso a respeito.

Ana Elisa também já opina no "look" do dia, se quer usar essa ou aquela sandália, se está a fim de usar a camiseta do Brasil num dia qualquer, etc.

O que não acho certo é deixar que uma criança mande na casa, e a roupa foi só um exemplo. Vai deixar usar vestido num dia frio? Ou casaco de lã em pleno verão? Ou ainda tênis apertados pra ir à escola? Pois é, tem mãe que deixa.

E, usando meu próprio exemplo, tem certos tipos de roupas que não ficam bem em certos tipos de crianças. Eu sempre fui gordinha, e queria porque queria usar a modinha da época. Só que, nem sempre, ficava bem em mim. Minha mãe deixava eu usar porque eu batia o pé? De jeito nenhum! Ela me explicava porque não ficaria bem, achava uma alternativa e eu acabava aceitando que era melhor seguir o que ela falava.

Uma época a moda era saia bem curta com meiões até o joelho. Eu sempre tive as coxas bem grossas. Se usasse uma saia muito curta, chamaria muita atenção nas domingueiras da vida, e pelo motivo errado. Minha mãe mandou fazer umas saias um pouco mais compridas, eu fiquei feliz e linda!

Então gentem, defendo o diálogo acima de tudo na relação entre pais e filhos. Mas isso não quer dizer que eles podem nos tratar como iguais, como amiguinhos da escola, e passar por cima das nossas decisões. Certo?

quarta-feira, 1 de dezembro de 2010

Dezembro.





Pois é, gente amiga, começou o último mês do ano de 2010. Se você fez aquela listinha de promessas pro Ano Novo é melhor se apressar, ainda dá tempo de realizar um ou dois itens...rs.

Eu não faço mais promessas, pois aprendi que a vida é vivida um dia de cada vez, com imprevistos, bons e outros nem tanto. Confesso que esse ano, em alguns aspectos, não foi dos melhores. Mas em outros, benzadeus, foi maravilindo!

Bem, mas não foi pra isso que vim aqui. Vim pra perguntar: já fizeram as compras de Natal? Não?! Então corram, pois as lojas estão ficando horrivelmente entupidas!

Eu já comprei tudim, tudim! Bem, comprei o que era minha incumbência comprar, o que é da alçada do meu cônjuge é com ele mesmo...rs. Mas estou com aquela sensação de missão cumprida, pois os amigos secretos, afilhados e sobrinhos estão com os presentes garantidos! Quer dizer, presentes não, lembrancinhas, pois a maré não tá pra peixe.

Agora, o melhor de tudo foi o dia das compras. Minha mãe, minha filha e eu fomos, num sábado ensolarado, ao centro da cidade. Saímos de casa as 10h e voltamos às 17h! Sim, ficamos todo esse tempo fora, carregando sacolas, entrando e saindo de lojas e nos individando.

Aí vocês me perguntam: mas a Ana Elisa não reclamou, não chorou, não deu trabalho? E eu respondo: não, não  e não! Ela comportou-se feito moça, quando teve sono pediu colo e dormiu por uns 15 minutos. Almoçamos bem, ela opinou nos presentes e ainda, de quebra, ganhou um DVD da Xuxa!

Se ela tivesse reclamado, é claro que teríamos vindo embora. Não vou judiar da guria, pelamor. Mas ela amou a agitação, o anda-anda do povo e os milhões de enfeites natalinos pelas ruas.

Amo muito tudo isso!!!

terça-feira, 30 de novembro de 2010

Bullying.




Mês acabando, férias chegando, achei que era legal postar o selinho que ganhei da Ana. É tempo dos pais conhecerem melhor esse mal que atinge nossas crianças e jovens, o Bullying, e preparar seus filhos pro próximo ano.

Regras:


1- Explicar o que é bullying:

(Reproduzo o que a Ana escreveu, pois achei muito didático): "Bullying é quando uma pessoa ou um grupo de pessoas agridem de forma fisica ou verbal, humilham e perseguem a vitima pelo motivo de ser "diferente" aos conceitos deles.

O mais comum é acontecer entre crianças ligadas pelo ambiente escolar."

2- Contar se você já passou por isso ou não. Se sim (e for da sua vontade) conte sua história. Caso contrário expresse sua opinão sobre o assunto:

Eu acho que há vários "graus" de Bullying, ou várias intensidades. Eu sofri com isso sim, mas não foi tão extremo (há adolescentes que não aguentam a pressão e cometem loucuras...). Há uma fase na vida em que tudo é o fim do mundo, e nessa fase é que os que estão em "maioria" azucrinam a vida de quem é "minoria". Eu era uma das mais altas, gordinha, sardenta e usava óculos. Precisava de mais algum item pra me amolarem? Então, a turminha me importunou demais, sim. Sofri, chorei, quis até sair da escola. Mas, com a força que vem da família (por isso disse que os pais precisam preparar seus filhos), consegui superar, me desvencilhar desses bobocas que me faziam sofrer e joguei a bola pra frente. Mas eu sei o quanto dói ouvir certos tipos de coisas.

3- Divultar o link do Blog que deu inicio a circulação do selo:

http://efeitomenina.blogspot.com

4- Indicar mais 6 blogs que você acha que vão aderir a campanha:

Prefiro deixar livre. Se você adere a essa campanha, divulgue!

domingo, 28 de novembro de 2010

Cineminha.




Domingo desses passados fomos ao cinema. Fomos: marido, prima, mamis, filha e eu. Assistimos ao filme do Senna. Na verdade é mais um documentário. Então, se você não tem muita paciência e não curte Fórmula 1, não gaste seu dinheiro.

Eu gostei muito, e chorei um monte quando começou a parte que conta daquele final de semana trágico, onde o Rubinho se machucou, um outro piloto faleceu e o Senna, que estava tão na dúvida se correria ou não, acabou correndo e sendo vítima fatal daquela curva.

Graças a Deus, os dirigentes da F1 colocaram a mão na consciência depois desses tristes acontecimentos, mudaram as regras de segurança e, desde então, nenhum acidente fatal ocorreu.

Tá, até aí tudo bem. Ir ao cinema, relembrar a tragetória do Senna, ouvir o marido xingando os dirigentes idiotas da época. Mas, não se esqueçam, eu tinha uma guriazinha e 2 anos junto. E o filme não interessava nem um tiquinho pra ela (quer dizer, um tiquinhozinho interessou, quando apareceu a Xuxa...rs).

Mas ela comportou-se super bem. Não ficou sentada o tempo todo, mas não atrapalhou ninguém. E no final acabou dormindo, no escurinho do cinema.

Eita mocinha...

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Limites.




Todo pai e toda mãe quer ser o melhor na categoria pros seus filhos. Certo? Mas, não devemos esquecer de uma palavrinha que anda muito em moda ultimamente. Limites.

Temos que ser amigos dos filhos, termos uma relação aberta pra que eles não tenham medo da gente. Mas tudo tem hora e lugar.

Filhos precisam de autoridade em casa, e não importa que idade tenham. Cada fase com a sua preocupação, mas sem esquecer quem é que manda. E não é no sentido de autoritarismo. Ser duro sem perder a ternura jamais...rs. Amigo sim, mas sem ser tratado como igual.

Pai é pai, mãe é mãe, e não somos um amigo da escola, não somos o irmão e muito menos um desconhecido. Respeito é bom e todo mundo gosta.

Se tivermos uma relação de carinho e respeito desde cedo com nossos filhos, eles saberão onde começa e onde termina seu espaço. E pode ser em que assunto for: quem escolhe a roupa, onde vão passar as férias, se pode ou não dormir no amigo, se é hora de assistir desenho ou o jornal, etc.

Por que estou dizendo tudo isso? Tenho visto cada caso de desrespeito com os pais que vocês ficariam horrorizados se eu contasse a metade. Só dois exemplinhos: filha adolescente que decide morar com o pai, porque a mãe cobra os estudos (sim, esse foi o motivo). Outro: filha criança que bate o pé e consegue o que quer da mãe, que a cria sozinha, e sai parecendo uma palhaça porque quer usar a tal roupa e a mãe não consegue dizer não.

Peralá. Onde estão os valores morais mesmo? Onde está aquele respeito? Na minha casa, sempre tive uma ótima relação com os meus pais, mas nunca fiz o que quis, muito menos na base da birra.

Tento passar esses valores pra minha filha. Se eu terei problemas disciplinares com ela, eu não sei. Vou deixar pra pensar nisso mais pra frente. Só sei que, plantando uma boa semente, fatalmente, a colheita será farta!

quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Chupetando...




... ou não chupetando, eis a questão...rs.

A chupeta entrou pra valer na vida da Ana Elisa aos 4 meses, quando o médico constatou que estava um pouco acima do peso pois mamava o dia todo pra sugar, sem ter fome.

E, no começo, toda mãe acha liiiindo! Eu procurava marcas, desenhos, prendedores e guardadores variados.

Mas, claro, ninguém deve chupar a bendita chupeta eternamente. E qual o limite? Qual a idade pra começar a tirar?

A dita cuja não me incomodava tanto, até que tornou-se a razão de ser da minha filha. E quando aprendeu a dizer direitinho CHU PE TA, aí não teve como fingir que não entendia o que ela queria...rs.

Se fosse só pra dormir, ainda vá lá. Mas eu sempre detestei essas crianças grandes que andam com a chupeta por todos os lugares. Então comecei a pesquisar sobre o "deschupetamento" e algumas dicas.
Bem, o que concluí:

- Não há idade pra dar a chupeta, e nem pra tirar, vai da necessidade de cada criança.

- Bicos ortodônticos sempre.

- Esterilização sempre.

- Renovação sempre.

E as técnicas mais utilizadas e bem sucedidas:

- Dar pro Papai Noel (ou Coelho da Páscoa, ou qualquer outro personagem).

- Trocar por um presente

- Dar pra um nenê próximo (ecati, claro que ele não vai chupar)

- Dar pra Fada da Chupeta (mesma técnica da Fada do Dente, achei fofa)

- Colocar algo ruim na chupeta (eu me recuso a fazer)

- Se fazer de desentendida e desconversar (aqui não colou..rs).

Toda essa história pra contar uma coisa: desde o dia 16 Ana Elisa não está mais chupando chupeta!

E foi assim, do nada. Na hora de dormir ela não pediu, e como não costmo dar sem que ela peça, ficou por isso mesmo. E dormiu super bem sem a companhia da "amiga".

No dia seguinte também nem lembrou, e eu me fiz de morta.

Na noite seguinte até pediu, mas eu falei que não sabia onde estava, que ia procurar, dei a Janis (hipopótama com a qual dorme) e ela dormiu.

Depois de 3 dias, quando eu já estava feliz, ela voltou a insistir pra que eu desse a bendita, mas só na hora de dormir. E como estava agitada, acabei dando. Mas só pra dormir mesmo, assim que ela largou, eu guardei e não dei quando acordou.

E assim estamos indo, um dia de cada vez. Se vai "deschupetar" de vez, se terá recaída, eu não sei. Só sei que estou feliz da vida, pois sei que é um benefício pra ela"

segunda-feira, 22 de novembro de 2010

Natal.

(Ano passado já não gostou muito do Papai Noel. Esse ano nem perto chegou...rs)

Quando fomos ao shopping, logo no primeiro final de semana de novembro, e vimos que já está decorado para o Natal, quase caí pra trás.

Como assim? Outro dia mesmo foi Natal, eu fui comprar os presentes, nos reunimos e tals. E já é Natal de novo???

Bem, o tempo passa, o tempo voa, e a poupança Bamerindus continua numa boa... Então resolvi que montaria logo nossa árvore de Natal também.

Então lá fui, com escadinha em mãos, revirar o maleiro. E peguei todos os apetrechos. Ana Elisa mais me ajudou que atrapalhou, sinal claro de que está crescendo.

Comecei colocando os itens avulsos: presépio (mini...rs), Papai Noel (feito pela tia da Ana, Ana...rs), guirlanda, velas, etc.

Montei a árvore, com os enfeites dos anos anteriores e alguns que comprei esse ano (reza a tradição que todo ano tem que colocar algo novo na árvore, nem que seja só uma bolinha), e então enrolei e liguei o pisca-pisca. Essas luzinhas exercem uma magia nas crianças que é inexplicável. Ana ficou ali, maravilhada olhando aquilo.

E, pra finalizar, coloquei a Befana no aparador, logo na entrada. Não conhecem a Befana? Explico: "lá da noi", como diria minha nonna, ou seja, lá na Itália, a Befana chega no dia de Reis, ou seja, 6 de janeiro. As crianças deixam as meias na lareira e ela coloca doces em forma de carvão. Mas, como ela é uma bruxinha muito arteira, coloca alguns carvões de verdade, então as crianças tem que chupar pra separar os doces dos carvões. Tradição bacana essa, eu adoro!

Eu sempre adorei a imagem da Befana, sempre ficava admirando-a na estante da nonna, e ela me dizia que, quando partisse, a Befana seria minha (assim como alguns outros itens de estimação). Infelizmente, ela partiu, e a Befana veio fazer suas artes aqui em casa.

Não posso negar que, assim que coloquei a bruxinha no seu lugar, me veio um nó na garganta. Mas a saudade faz isso com a gente mesmo, ainda mais nessa época de festas. Então me resta é cuidar bem da Befana!

Ah, e só pra constar. Nesse dia em que fomos ao shopping, eu tentei levar Ana pra tirar foto com o Bom Velhinho. Ela grudou em mim e chorou, desesperada. Nâo vamos insistir então...

sábado, 20 de novembro de 2010

A saga da coruja.


Tia Graziella, hipnotizando Ana...rs.

Já falei pra vocês que minha família é muito, muito, muito pequena? Já, falei aqui...rs.

Pois bem. A família do meu pai, todinha (hahaha), veio da Itália, de Veneza. Primeiro meu nonno, depois minha nonna com meu pai, em seguida os pais da nonna (nonno Mário e nonna Ada) e minha tia Graziella.

Meus nonnos tiveram a oportunidade de rever a terra natal por 2 vezes, e minha tia por 3 vezes. E na segunda vez foi em 2008. Inclusive, quando pari Ana Elisa ela estava voltando de lá.

Em todas as vezes ela trouxe mimos fofos pra gente (porque presentes são o olho na cara). E em 2008 uma das coisas que me trouxe foi uma coruja feita de cristal. Eu adorei!

Só que a coruja bateu asas e voou...rs. Eu, em fase de "dieta", com recém-nascida em casa, só dei conta da falta da coruja algum tempo depois. Não sei se alguém levou, se a empregada quebrou, enfim... só sei que sumiu.

Eu comentei o fato com ela, e é claro que ela ficou chateada. Então esse ano ela voltou a viajar pra lá e trouxe mais coisas fofas. E, para minha alegria, me trouxe outra coruja de cristal, ainda mais linda que a primeira!

E dia desses estávamos, marido, Ana e eu, vendo um DVD musical na sala. A coruja em cima da TV. E, do nada, a coruja despenca lá de cima. Não espatifou-se no chão, mas quebrou várias partezinhas.

Ficamos parados, olhando pros cacos, sem entender nada. Ana Elisa me pedia pra colar (rs), mas sem chance.

Agora, me digam, conhecem alguma maldição que envolva corujas?...rs.

quinta-feira, 18 de novembro de 2010

Vá ler um livro.





Lembram daquela campanha "Desligue a TV e vá ler um livro"?

Pois é exatamente o que estou fazendo.

Depois que Ana Elisa vai dormir (porque antes, fatalmente, estamos assistindo o que ela gosta), não acho nada que me atraia na TV.

Então, aproveitei essa falta de paciência pra ler mais (o que sempre gostei de fazer, mas estava sem muito tempo pra isso).

Nessas, li um livro em uma semana. Tá, dá pra ler em ainda menos tempo, mas fazia teeeeeeempo que eu não realizava essa façanha.

Então, tá esperando o quê? Desligue a TV, ou no caso o computador, e vá ler um livro!

terça-feira, 16 de novembro de 2010

Feriado.




Oi gentem!

Como foi o feriado de vocês?

Por aqui foi tranquilo. Passeios familiares, mas muito gostosos!

Minha mãe deu um "pequeno susto" na gente, mas grazadeus não passou de susto.

E depois de tardes preguiçosas, passeios com a família, comprinhas básicas e muitas sonecas, o duro é voltar pra vida real...rs.

Bom, mas vamos lá, já que não tem jeito mesmo...rs.

Ah, ia esquecendo! O sorteio do amigo secreto virtual, organizado pela Renata foi hoje, mas é claro que não vou contar que nós tiramos...rs.

sexta-feira, 12 de novembro de 2010

Bailarina gira...


Quando começou o 2º semestre desse ano, Ana Elisa começou a frequentar as aulas de ballet na escola. Sem cobrança, sem obrigação, só pelo prazer de dançar.

Parece que quando completou 2 anos, em setembro, deu um "clique" nela e passou a se interessar mais pela aula, começou a "dar" aulas pra mim em casa e participar efetivamente da turma.

Um dia a professora me falou que ela viu as amigas trocando de roupa (colocando o uniforme do ballet) e queria colocar também. Mas eu não tinha comprado, ia esperar o ano que vem, porque vai que ela não quisesse mais fazer.

Nesse dia em que ela quis trocar e não tinha roupa, ficou super brava. E então pediu que a professora fizesse um coque nela (com aquele monte de cabelo).

Eu com meu instinto de bailarina e coração de manteiga resolvi comprar a tal roupa pra ela, afinal merece. Foi kit completo: sapatilhas, meia calça, collant com saia, faixa, rede e bolsa. Tudo rosa, frufruzento, bem lindo.

A cara de alegria dela ao ver seu uniforme não tem preço. E fui experimentar a roupa nela (caso precisasse trocar algum iten) e ela fez uma performance para uma sessão fotográfica, sentindo-se a Ana Botafogo.

E isso me lembrou uma foto minha, onde estou com minha roupa nova de ballet na escada da casa da minha mãe, no alto dos meus 6 anos.

Agora sou, oficialmente, mãe de bailarina!

P.S.: Aproveitem esse feriado, o último do ano!!!

quarta-feira, 10 de novembro de 2010

Desfralde.




Começamos, pra valer, o processo de desfralde.

Não é fácil, a gente pensa em desistir, mas todas as crianças tem que passar por isso, mais cedo ou mais tarde.

Já ajudei no desfralde de um monte de crianças. Sei que cada uma tem seu tempo, mais ou menos dificuldade, mas não é uma coisa impossível de se fazer.

Placar do primeiro dia: Banheiro 1 x 9 Calça.

Vou ali comprar mais uma dose de paciência, mais calcinhas, um sofá novo e já volto...rs.

segunda-feira, 8 de novembro de 2010

Papá

Jabuticaba é uma das frutas da listinha. Provou aos 4 meses e apaixonou-se.



Minha filha completou, dia 6, 2 anos e 2 meses. Olhem o que diz o boletim (daqueles, que recebemos de um desses sites de bebês) sobre essa fase:

" Nesta fase, o corpo do seu filho utiliza tanta energia para brincar e crescer que é impossível passar o dia só à base de três refeições. Por esse motivo, lanchinhos são vitais para o desenvolvimento e não devem ser relegados a guloseimas cheias de açúcar ou gordura. Frutas, sanduíches, barrinhas de cereal ou iogurte são boas opções para recarregar as baterias sem encher demais a barriga e roubar espaço da comida de verdade.
E vale lembrar que a alimentação diária deve ser rica em grãos integrais, carboidratos, frutas, verduras e proteínas, a fim de que ele consuma todos os nutrientes de que precisa. Só não pode ficar aflita se a comida não for a coisa mais importante do mundo para seu filho, ocupado demais em explorar as novidades. "
 
Tá, legal. Eu prezo pela alimentação da pequena, mas não acho o fim do mundo comer besteiras de vez em quando. Refrigerantes, grazadeus, foram rejeitados por ela. Frutas, só algumas. Mas insisto nessa listinha de preferências, pois sei da importância. Legumes e verduras, só bem cortadinhos (exceto vagem, vai entender).
 
Mas sexta-feira a tarde eu ria sozinha. Ela me pediu uva. Coloquei num potinha e dei à ela. Comeu tudo e pediu "maix papá". Mostrei a uva, e ela franziu a teste e respondeu: "Não, mamãe. Papá. Té pão". Hahaha. Tipo assim: "Ó mãe, já comi a tal fruta que você tanto insiste, agora me dá comida de verdade".
 
E, pelo tanto que ela brinca, pula, dança e corre durante o dia, melhor mesmo reforçar a pancinha. =)

domingo, 7 de novembro de 2010

Mãe...





Hoje é aniversário da minha mãezinha. Aquela que sempre foi meu exemplo a seguir. Minha amiga, minha companheira, minha mestra.

Desejar o que numa data dessas? Quaisquer coisas que eu diga seria pouco. Então vou ali, dar um montão de beijos, que é bem melhor!

Mãe, Feliz Aniversário! Te amo muitãozão!

sábado, 6 de novembro de 2010

Nome próprio.




Daí que eu tenho uma filha que fala muito, mas ainda na linguagem dela.

Às vezes as pessoas entendem tudo. Às vezes só eu entendo. Às vezes só ele entende, ou nem ela entende....rs.

Mas está ficando cada vez mais claro o vocabulário dela, e como corrigimos o que ela ainda troca e falamos pausadamente, em sílabas, ela costuma falar o que mais tem dificuldade assim também.

Dia desses meu marido e meu irmão iam buscar a sagrada pizza nossa. E ela milagrosamente quis ir junto.

No carro, meu irmão ficou falando pra irritar: "Ana, Ana, Ana....".

E ela, calma e pausadamente, manda: "E- li- sa".

Ah, quando eu soube, quase mordi a guria! E não parou por aí. Quando perguntamos qual o nome dela, responde: "Nana E-li-sa". Fofura da mamãe!

quinta-feira, 4 de novembro de 2010

Sobrinho.


Sabe, alguns acontecimentos fazem com que um filminho nos passe pela cabeça.

Último dia 28, minha cunhada me liga e diz: Tati, você será tia de um menino, do Kauan.

Eu vibrei, fiquei feliz à bessa e ela sabe que é tudo verdadeiro.

Aí lembrei de quando a conheci, ela tinha apenas 10 anos. E lembrei de quando ela começou a namorar escondida e de quantas vezes a levei ao shopping para encontrar o amado. E lembrei de quando o pai autorizou o namoro, de como ficamos felizes. E lembrei de quando eles noivaram. E lembrei de como fiz das tripas coração para ir ao casamento deles, tendo um bebê de 14 dias em casa. E lembrei da alegria que senti ao saber que ela está grávida.

Agora ela já está na metade do caminho e sabe que será mãe de um meninão. E eu vejo que minha "irmãzinha" cresceu.

Elen, desejo, de todo meu coração, toda felicidade e saúde pra vocês!!!

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Restinho.




Como foi o feriadão por aí?

Por aqui tudo tranquilis. Nada de extraordinário, mas ficar em casa também pode ser muito gostoso.

O que pegou mesmo foi a enxaqueca. Estou com dor desde segunda-feira. Ninguém merece...

Bem, vou ali tomar um remédio e já volto. Bom restinho de semana procês!

sábado, 30 de outubro de 2010

Ufa!




Amo o Brasil, a terra do feriado e das emendas...rs.

Sei que atrapalha  economia, sei que muita gente fica sem ganhar (meu marido, autônomo, por exemplo), mas 4 dias em casa veio bem a calhar.

Acho que meu corpo sente que o feriado está chegando e vai diminuindo o ritmo durante toda a semana que o precede. A semana não acabava nunca!

Mas grazadeu acabou, e agora é só curtir!

Claro, com criança pequena em casa eu não posso dizer que vou "descansar", até porque nem sei o que significa essa palavra...rs. Mas sair da rotina, respirar outros ares (mesmo que seja da pracinha do bairro) faz muito bem pro corpo e pra alma.

E, além disso, dia 2 é aniversário da minha linda avó. Fará 86 anos (vó, não leia). É ou não é motivo de comemoração?

Então, pra vocês, bom feriado! Nos vemos na volta. Beijomeliga.

P.S.: sem esquecer das eleições, pelamor, hein.

quinta-feira, 28 de outubro de 2010

Organização.


Sabem, eu não sou o melhor exemplo do mundo de mãe que arruma tempo pra fazer suas coisas, mas aos pouquinho (a passos de lesma eu diria...rs) a minha vida vai voltando ao normal.

Mas uma coisa que eu sempre gostei e tinha medo de não conseguir fazer depois que parisse é me arrumar. Não que eu seja expert em maquiagem ou estilo, mas não gosto de sair de qualquer jeito.

Como boa libriana, gosto do que é belo, e isso inclui minha própria imagem. Cabelo limpinho, um lápis no olho, um perfume gostoso, creme no rosto e no corpo e uma roupa que me caia bem. Coisas básicas que me fazem feliz!

Então, antes mesmo de Ana Elisa nascer, comecei a observar as mães por aí. Vi de um tudo, desde aquelas que parecem saídas do salão de beleza até aquelas que esqueceram que também precisam tomar banho...rs. E quando esse assunto surgiu com uma amiga minha, que conseguia se arrumar (o básico, claro), perguntei como ela fazia.

Ela disse que era questão de programação. Se antes você se arrumava as 8h para sair as 9h, agora teria que começar mais cedo, porque tinha o bebê para arrumar também. Gelei, só em pensar na antecedência, mas quando a coisa se tornou real vi que nem é tão complicado assim.

Hoje em dia consigo me trocar, trocar Ana Elisa e ainda fazer a mala pra sairmos. E raramente saímos atrasados. Sou super mãe? Que nada, sou só organizada! ;)

terça-feira, 26 de outubro de 2010

...



Qual é a ordem natural das coisas?

Que os mais novos enterrem os mais velhos, certo?

Então, não consigo imaginar o tamanho da dor de uma mãe que enterra um filho. E um filho bebê, então, impensável.

Aline, você é uma mãe incrível. E, como você mesma disse, "o céu está em festa".

Theo agora é um anjinho, brilhando por vocês!

domingo, 24 de outubro de 2010

Amamentação.


Como eu já disse aqui no blog, amamentação foi um assunto que eu quase ignorei durante a gestação (até fiz massagem com bucha vegetal e tal, mas não passou disso), e talvez essa minha ignorância tenha me atrapalhado no período em que mãe e filho estão se conhecendo.

Aí vem aquele lance de livre demanda x rotina. Olha, acho que na teoria a livre demanda é mais legal, o bebê ganha mais peso e tem o direito de escolha, mas na prática não é bem assim.

A mãe não tem hora pra nada. E quando digo nada é nada mesmo! Ana Elisa mamava a toda hora (depois descobri que não tinha mamado o suficiente), e a coisa piorava quando ia anoitecendo. Meu pai dizia que era a "crise das 18h"...rs. Ela chorava, nada estava bom, nem mesmo mamar a acalmava. Mas em contrapartida ela dormia bem a noite, e aí eu podia descansar um tiquinho.

Nesse período eu não podia programar nada. Vi que algumas mães conseguiam deixar suas crias pra poder ir ao salão tratar os cabelos, ou fazer as unhas, fazer comprinhas básicas ou até mesmo almoçar/jantar fora com o marido.

Aqui isso não rolava. Ana Elisa ia comigo pra todo canto, e se eu não podia levá-la ela também não ia. Não me arrependo disso, mas confesso que nesse período, em que já estamos passando por tantas mudanças, o fato de ter que abrir mão totalmente de tudo que me fazia sentir bem pesou um pouco.

A primeira vez que fiz as unhas e tratei o cabelo depois que ela nasceu foi para o seu batizado, e ela tinha pouco mais de 2 meses. Me senti renovada e feliz com aquele meu momento, e isso refletiu na minha calma com ela também. Só que nessa fase ela já alternava mamadas no peito e leite artificial, então se reclamasse dava pra dar mamadeira na boa.

O que estou querendo dizer? Bem, não sou dona da verdade e nem pretendo ser, mas levanto a bandeira de que não há uma verdade universal, que seja boa pra todas as mães.

Se você dá peito em livre demanda, parabéns. Se estabeleceu uma rotina, legal. Se teve que partir pra mamadeira, não sinta-se mal, saiba que seu filhote sente o mesmo carinho só pelo seu toque e atenção. Se você consegue deixar uma criança pequena com alguém para sair, é felizarda! Mas, se como eu, raramente consegue alguém pra ficar com a cria, não ache que é o fim do mundo. Encare como um período transitório, porque logo a criança cria asas e você até vai sentir falta do tempo em que eram grudados...

sexta-feira, 22 de outubro de 2010

Horário de verão 2010.




Na virada do dia 16 pro dia 17 de outubro, entramos em horário de verão. Eu disse aqui que eu adoro horário de verão. Me sinto mais disposta com um dia ilusoriamente mais longo.

Mas a adaptação esse ano foi mais complicada que nos anos anteriores.

Ana Elisa estava sofrendo para acordar, levava-a praticamente dormindo pra escola. E nisso ela não tomava seu leite matinal (e nem tem sentido falta, não sei o que é pior).

Levava uma meia hora até que ela despertasse pra valer. Chegava a hora do lanche e ela estava esfomeada. Comia bastante, de tudo um pouco.

Só que aí, na hora do almoço, ela não tinha fome e o sono imperava. Comia pouquíssimo (pra não dizer que não comia nada) e logo queria dormir.

Mas aí, quando acordava, o que ela tinha...? Fome, é claro. E quando eu ia almoçar (por volta das 14h), ela comia bem. E pulava o lanche da tarde. E queria beliscar antes da janta.

E a hora de dormir também estava sendo mais tarde que o habitual, graças ao relógio biológico da baixinha. E o meu, que também estava doido, me gerava noites mal dormidas, onde o sono parece fugir. E o dia seguinte era loooooooooooooongo.

Agora parece que as coisas voltam ao normal, mas vou falar baixo pra ninguém ouvir...rs.

Mas, ainda assim, adoro horário de verão!

Beijo, bom findi!

quarta-feira, 20 de outubro de 2010

Sono diurno





Esse já foi um assunto mais delicado aqui em casa. Desde pequeniníssima, recém-nascida mesmo, Ana Elisa não tirava grandes cochilos durante o dia.

Todo mundo me via cansada e dizia: quando ela dormir, dorme também. Tá, juro que faria isso, se a danada dormisse. E quando dormia mais era no colo ou deitada comigo. Aí me falavam pra por a menina no carrinho senão ia acostumar mal, e é claro que ela acordava e me dava um baile.

Aí ela dormia cedo, e dormia bem (leia post anterior), mas quem é mãe sabe o quanto precisamos de descanso durante o dia. Eu tinha dias de terror, vontade de sair gritando pela rua, mas graças a Deus sempre tive apoio dos que me amam e a fase ruim passou.

Então ela foi crescendo, e nada das sonecas diurnas melhorarem. Eu achava na minha santa ignorância que ela cansaria mais e dormiria mais. Que nada, ela só ficava mais irritada. E eu, que não tenho empregada, babá ou qualquer outro tipo de ajuda, me via com mil coisas pra fazer e tempo nenhum pra isso.

Tentei de um tudo. Até deixava uma peça de roupa minha no berço com ela pra ver se, sentindo meu cheiro, dormiria melhor. Mas nada funcionava.

Foi então que minha amiga Cris, que também tinha problemas com o sono da filha, leu um livro desses milhões que dão dicas pro sono dos bebês e me falou: porque você não deita com ela e vê se ela dorme melhor. Fiz isso e deu certo! Naquele dia ela dormiu por mais de 1 hora a tarde. E durante os dias seguintes dormiu ainda mais. Viva!

Mas... com tanta coisa pra fazer, não podia me dar ao luxo de ficar a tarde deitada. Então comecei a sair, gradativamente, até que ela dormia bem e sozinha!

Como toda criança, conforme foi crescendo, ela foi dormindo menos durante o dia. Agora só tira um cochilo, de mais ou menos 1 hora, após o almoço. E continua dormindo e acordando cedo. Mas a carinha de sapeca dela mostra que o sono está fazendo muito bem à cutis!

segunda-feira, 18 de outubro de 2010

Sono noturno



Estive vendo um programa sobre o sono infantil e me assustei com algumas histórias lá contadas. Achei legal dividir com vocês algumas considerações sobre o tema.

Minha filhota quase sempre foi boa de berço. Desde bem novinha passou a dormir no quarto dela e a noite toda. Mas é claro que isso não é todo santo dia, há os momentos de irritação, de sono agitado, quando está doente e quer um colinho, essas coisas.

Mas eu li, logo que ela nasceu, um livro que minha mãe comprou quando eu nasci (super recente...rs). Lá dizia que, assim que o bebê tiver 4kg e mais de 1 mês (claro, crianças que já nascem pesando isso, como a minha, o fator relevante é a idade) não precisam mais acordar de madrugada pra mamar.

E o que fazer com um bebê que acorda então... Bem, como sempre fui de assistir a todos os programas sobre bebês, uma das dicas é não pegar o bebê do berço, só acariciá-lo, dar leves tapinhas no bumbum e ele volta a dormir.

Tá, sei que se alguém que tentou isso e não teve sucesso ler esse texto, serei crucificada em praça pública. Mas comigo funcionou. Ela ainda dormia no carrinho, ao meu lado, e eu comecei a só balançar o carrinho quando ela acordava. E Ana Elisa voltava a dormir rapidamente. E nisso criamos nossa rotina, com uma criança que dormia por volta das 21h e acordava por volta das 6h. Claro que acordava esfomeada, a mamada era demorada, mas as mães sabem como é importante uma boa noite de sono.

Hoje em dia, na maioria das vezes, quando ela acorda é só dar a chupeta (que fatalmente caiu da boca e ela não achou sozinha), fazer um carinho e o sono volta. Quando não funciona, eu sento ao lado do berço e fico acariciando-a.  E quando nada disso funciona, pego no colo e pronto.

Uma outra coisa que eu acho que contribuiu para que o sono fosse calmo é a famosa rotina. Ela não tomava banho a noite, mas assim que começava a dar a hora de nanar o ritmo da casa mudava, e ainda muda. Tudo mais escurinho e silencioso (se bem que ela dorme até em show de rock se o sono pegar mesmo).

Então eu acho que vale tentar de tudo pra fazer com que a criança durma bem: massagem, banho morno, cantar, ler uma história, dormir na cama dos pais e depois ir pra cama dela, etc. Só não acho legal ficar chacoalhando a criança pela casa, mas se não tiver jeito, fazer o quê...

Agora, vamos ressaltar uma coisa. Cada um com seu cada qual, como eu sempe digo. Se seu bebê dorme e acorda tarde, tudo bem. Se dorme menos, tudo bem também. Saiba avaliar a necessidade de sono dele e a rotina de vocês. Se podem acordar tarde, que seja. Aqui todo mundo acorda cedo, então não dá pra ir dormir de madrugada.

Outra coisinha. Não existe uma criança durante a semana e outra nos finais de semana. A minha acorda e dorme cedo TODO santo dia. Não é porque vocês tem um compromisso que o bebê vai mudar a rotina dele. Aliás, isso nem é saudável. Então avalie bem os programas enquanto a criança for pequena.

Garanto uma coisa: noite mal dormida resulta, fatalmente, em família irritada e exausta no dia seguinte. Bebê dormindo bem, papais dormem bem e todo mundo fica feliz!

RECADINHOS DO CORAÇÃO:

- Ainda estou sem meu computador, então estou programando algumas postagens dos computadores emprestados quando posso.

- Talvez os comentários demorem a aparecer, mas leio todos.

- Estou em falta com as visitas aos blogs amigos, mas juro que volto logo!

sábado, 16 de outubro de 2010

Sábado...





Hoje acordei relativamente cedo. Abri a janela, olhei para o céu e vi que estava nublado.Me lembrou aquele último sábado.

Deixei Ana Elisa com meus avós e minha prima e rumei, com meu marido, mãe e irmão, para Santos. Chegamos cedo, comemos algo por ali mesmo e fomos para o hospital, já era horário de visita.

No quarto, ela estava bem, recuperando-se. Riu, emocionou-se, pegou minha mão, fez planos para o aniversário da bisneta e também para o casaquinho de lã que faria assim que saísse do hospital. Estava lúcida, bem humorada, os olhinhos azuis bem vivos e espertos.

Eu, a contragosto, me despedi para que os demais pudessem vê-la. Ela me pegou a mão e me olhou bem no fundo dos olhos. Quando eu já estava na porta ela me chamou e disse que me amava muito. E eu disse que também a amava (e amo) muito. Engoli seco e desci.

Fiquei pensando na outra senhora, na cama ao lado da dela, que estava mal. O quanto a família deveria estar sofrendo. E fiquei aliviada, pois tinha certeza de que naquela semana ela teria alta e, no próximo final de semana, a visita seria em casa. Em casa fica tudo melhor, Ana poderia ir também e alegrar aquele coraçãozinho italiano.

O horário de visita acabou e ficamos um tempo na porta do hospital, conversando com meu pai. Ele tinha suas preocupações, em como seria dali pra frente. Ela não poderia mais continuar morando sozinha, trazê-la para morar conosco não era uma boa ideia, pois no litoral ela tinha melhor qualidade de vida. Alguém iria morar com ela, não teria jeito. Mas, e os medicamentos, que não estavam contendo a infecção. O médico daria alguma orientação, com certeza.

No domingo, durante uma conversa trivial pelo MSN, meu irmão me conta que ela fora transferida para a UTI. A febre não cedia, ela tinha uma espécie de desmaio e precisava de monitoramento. Mas meu pai conseguiu visitá-la, estava "dormindo", mas serena.

Na segunda-feira cedo, toca o telefone. Eu já sabia, lá no fundo, qual era a notícia. Fui atender pedindo a Deus que não fosse aquilo, mas era. A nonna havia falecido. Como aquela notícia doia. Eu não conseguia entender, não conseguia aceitar, e o chão parecia que queria me engolir.

Jamais, naquele sábado, eu imaginaria que, 2 dias depois, ela não estaria mais aqui. Se eu soubesse, teria ficado mais tempo no quarto, teria levado Ana (embora soubesse que crianças não entram e ponto), teria deitado ao seu lado, abraçado forte, pediria que contasse mais uma vez suas histórias de vida, que fizesse só mais uma vez seu maravilhoso espaguete, que não fechasse aqueles lindos olhinhos azuis.

Mas a gente não prevê o futuro, e não muda o passado. Fiz o que pude, larguei tudo pra visitá-la, e tenho certeza de que ela sabe o quanto significa pra mim, pra gente.

Precisava escrever isso, precisava desfazer esse nó na garganta.

Agora o Sol está começando a aparecer entre as nuvens e, de alma lavada, vou curtir esse sábado.

Beijo, bom findi!

quarta-feira, 13 de outubro de 2010

1 ano!!!

Tá, a foto é só pra ilustrar que Ana é muito fofa...rs.
Pois é, caros leitores. Esse simples e humilde espacinho no imenso mundo virtual completa 1 ano hoje!

Não posso dizer que algo do que eu escrevi mudou a vida de alguém, mas com certeza me fez muito bem! Cada um tem que encontrar algo que lhe faça bem, e eu descobri que escrever me faz um bem danado.

Nesse 1 ano pude me aproximar de algumas pessoas, conhecer outras e perceber que meus amigos não me abandonam, nem virtualmente falando...rs. E vocês também me conheceram um pouquinho, souberam do que gosto, do que não gosto e que meu grande tesouro é moreninha e gorduchinha.

Obrigada gente, pela paciência e carinho. E desculpem se às vezes escrevo algo que não agrada. Mas, afinal de contas, ninguém agrada todo mundo, certo.

Prometo, prometo mesmo, que assim que meu computador voltar a dar sinal de vida (vim escrever na mamis só pra não deixar a data passar em branco), conto uma novidade bem legal pra vocês!

Ah, e por falar em novidade, o feriado pelas bandas de cá foi bom pra mais de metro!

É isso pessoal, parabéns para nós!!!

quinta-feira, 7 de outubro de 2010

Informativo.

Quero informar-lhes que, por motivos de força maior, ficarei ausente nos próximos dias.

Abaixo esclareço os motivos:

1- O meu excelentíssimo computador está quebrado.

2- Teremos 4 dias de feriado, então aproveitarei para desfrutar da companhia dos meus familiares, longe da Internet.

Me comprometo a voltar em breve, mesmo que tenha que escrever-lhes de um computador emprestado.

Sem mais para o momento, despeço-me.

Um abraço.

Tatiane.

P.S.: Hahahahaha! Só pra mostrar que também sei falar bonito. =)

Sentimental eu sou...

Dança bailarina!

(Farei uma breve explicação para que vocês entendam a cena que inspirou o post de hoje).

Minha filhota ama música. Não adianta colocar DVD de filmes, só os musicais. Então aqui em casa prevalecem os DVD´s com cores, músicas e dança. A danadinha fica em frente à TV fazendo as coreografias, um doce!

Nas últimas semanas, 3 DVD´s lideram o ranking, substituindo o famoso "Clipes do Cocoricó": Aline Barros e sua Turma 1 (que ela chama de Pula, por conta de uma das músicas); Xuxa 9 (que tem tema natalino e ela chama de Amém) e Xuxa 10 (que é Xuxa 10 mesmo...rs).

O Xuxa 9 tem músicas natalinas agitadinhas, gostosas de cantar, mas no final fica mais melancólico. Sabe, se você está depressivo, vai direto se jogar da ponte...rs. E tem uma que é pior, uma menininha cantando que Papai Noel a esqueceu e tals. Gente, é de cortar o coração. Sei que é a realidade de um montão de crianças por aí, mas não sei se combina com o propósito da Xuxa.

Pois bem. Ana estava assistindo e ouvi um funga-funga. Fui na sala e ela estava sentada, balançando o corpo no ritmo da música e com os olhos marejados. Falei: "Que foi filha?". E ela veio me abraçar forte e falou: "Ai, mamãe. Pula, não Amém". E entendi que ela estava emocionada e queria que eu trocasse o DVD.

É ou não é uma menininha de deixar o coração da gente apertadinho?

terça-feira, 5 de outubro de 2010

Rapidinhas.


Comentários aos comentários...rs.

1- Por maioria de votos, não vamos mais mudar pra Holanda. Unindo a opinião da Rose e da Taty, vamos pra Naruto, no Japão... Alguém mais nos acompanha?

2- O povo vota no palhaço como forma de protesto, mas o palhaço nem é alfabetizado. Como pode exercer um cargo tão importante? Agora só falta ele ganhar o processo e o Maluf também entrar. Aí sim, o circo tá armado!

3- Li num monte de lugares, inclusive no blog da Roberta, que agora a onda é roubar cadeirinha dos carros. Sim, aquele item de segurança pro seu filhote é alvo dos criminosos. Só não entendo como alguns pais só se preocuparam com a tal cadeirinha agora, que é obrigatória. E antes, onde ficava a segurança da criança?

Bem, acho que é isso.

Beijos, torcendo pro feriado chegar logo!

segunda-feira, 4 de outubro de 2010

Eleições.

Aprendi muitas coisas com meus pais nessa vida. Mas uma é importantíssima: religião, política e futebol não se discutem.

Cada um com seu cada um e ponto. Não adianta tentar entender, aceite e siga em frente (mesmo que não concorde).

Mas posso dizer uma coisa sobre as eleições: estou feliz! E pasma também.

Como um palhaço como o Tiririca, sem qualquer objetivo concreto, ganha como Deputado Federal, num estado como São Paulo e ainda por cima com votação record do país?

Ainda bem que nem tudo está perdido. Por enquanto não. Sou brasileira e não desisto nunca!

Mas, já sabem. Se eu sumir é porque peguei minhas malas e fui pra Holanda!

Beijo, boa semana!!!

domingo, 3 de outubro de 2010

Saudade...


Às vezes releio alguns posts meus. Isso é raro, mas acontece.

Fui no marcador "Saudade", e lá tinha um texto que mencionava a saudade que sinto do meu nonno.

E agora a saudade é ainda maior, pois a nonna foi brilhar lá no céu também.

No último dia 26 foi meu aniversário (jura? não sabia...rs). Logo pela manhã o telefone tocou e eu pensei: "Deve ser a nonna". Só então caiu a ficha que não era ela.

Ela sempre era uma das primeiras a ligar, me dizia coisas lindas naquele seu sotaque gostoso, e eu sabia que eram desejos vindos do fundo do seu coração.

Quando o nonno ainda estava aqui, ele falava em seguida. Misturava os idiomas na felicitação, mas eu entendia tudo perfeitamente.

Nesse aniversário não tive ligação, nem sotaque gostoso... só a saudade, que ainda é imensa.

Eita falta que esses dois me fazem...

P.S.: Só para lembrar. Hoje é dia de votação. Pelamordedeus, pensem bem antes de votar. As últimas pesquisas de opinião me deixaram muito preocupada. O povo anda com a memória muito curta. Acho que, dependendo do resultado, vamos mudar pra Holanda (Rose, nos hospeda?...rs).

sexta-feira, 1 de outubro de 2010

Outubro.

O tempo voa...

Mais um mês começando. O 10º mês do ano.

Caraca! Tudo isso?!?!

Já já Natal novamente, e Ano Novo, e desejos para que o ano vindouro seja melhor que esse...

O tempo está voando ou eu estou dormindo no ponto?

Bem, simbora aproveitar o mês novinho em folha então!

Recadinho do coração:
- Ana, não estou conseguindo postar comentários no seu blog, mas leio sempre e adoro!

quinta-feira, 30 de setembro de 2010

Chorinho.


Eu sempre fui dorminhoca. Claro que atualmente não exerço tão bem essa minha função "soneca", mas aproveito sempre que possível pra dormir mais um tiquinho. Cinco minutinhos a mais na cama são essenciais pra garantir o bom humor.

Quando ainda não era mãe, poderia dormir até em pé durante o banho (digo no passado mesmo, porque agora os banhos são mais rápidos, não dá tempo de dormir...rs.).

Só pra terem ideia:

- Já dormi na balança do parquinho;

- Já dormi no cinema, durante um filme de mais de 3 horas;

- Já dormi em sala de aula (ah, essa é fácil...rs),

- Já dormi no meio de uma palestra;

- No carro então, nem se fale. Era entrar e capotar.

Eu tinha medo de não acordar quando a nenê chorasse a noite. Então ganhei uma babá eletrônica de presente. Só que a dita cuja fazia um barulhinho constante, e me deixava tensa. Acabou sendo aposentada precocemente, pois meu ouvido me dava mais segurança que o aparato eletrônico.

Quem é mãe sabe. Parece que, junto com o parto, implantam um sensor na gente, que reconhece choro a quilômetros de distância. E, aos poucos, aprendemos até a identificar os tipos de choro, os resmungos da madrugada e a manha.

Até aí é bom, pois estou ligada em qualquer situação. Mas o duro é que uma das minhas vizinhas (ainda não sei qual) teve bebê recentemente. E a cada chorinho da madrugada do bebê, eu acordava junto!

Peralá, Tatiane. O filho não é teu, volta a dormir!

terça-feira, 28 de setembro de 2010

Comemorações.

Rindo à toa.

Eu amo fazer aniversário! Sempre amei, e espero continuar amando mesmo quando estiver caidinha.

Até pouco tempo atrás (2 anos, exatamente) eu fazia contagem regressiva desde sei lá quanto tempo antes. Quem esquecesse da data era burro desligado demais.

Mas aí, em 2008, ganhei meu presente antecipado, 20 dias antes do meu aniversário. Era gordinha, pequeninha e bochechuda. E desde então me preocupo muito mais com o aniversário dela do que com o meu, of course.

No ano em que ela nasceu eu não queria nada. E minha família discordou, porque todos os anos eu comemorei meu aniversário, e não é porque minha vida estava de pernas pro ar agora era mãe que as coisas mudariam.

Compramos umas pizzas e reunimos a família na casa de mamis. Bolinho, vela, parabéns baixinho pra não acordar a nenê...rs.

Esse ano eu fiz uma programação antecipada: sexta a noite nossa famosa pizza, sábado a noite comida japonesa (aprendi a gostar, me acabo!), domingo, o grande dia, almoço com meus pais e a noite um micro bolo pra família. Pronto, agenda completa!

Amei minha comemoração! E amei cada manifestação de carinho: abraços, ligações, e-mails, torpedos, recadinhos aqui. Fiquei emocionada, de verdade!

Espero comemorar ainda muitos aniversários, sempre na companhia dos meus amados e cercada de carinho!

"Fiz um acordo com o tempo. Eu não fujo dele e ele não me persegue. Um dia a gente se encontra."
Aniversário de mãe com vela de filha...rs.

domingo, 26 de setembro de 2010

26 de Setembro.


Era uma terça-feira primaveril. Fazia muito calor, mas uma garoazinha amenizava o desconforto. Eunice, já com 9 meses de gestação completos, ia para mais uma consulta.

Depois daquele mede-examina-analisa o médico diz: "Pode ir para casa, pegar suas coisas e me encontrar no hospital. Seu bebê nascerá hoje." Como o parto normal estava descartado por alguns motivos, Eunice não questiona e obedece.

Ela e o marido vão para casa, ela avisa sua mãe, que também arruma suas coisas para acompanhá-los.
Banho tomado, malas prontas, rumam para o hospital.

Eles moram no ABC e o hospital onde o médico realizava os partos é em São Paulo. Giorgio, sempre precavido, sai com bastante antecedência de casa pra evitar qualquer contratempo.

Chegam ao hospital, os acompanhantes se despedem de Eunice, que segue para a sala de pré-parto. E daí é aquela história: roupa própria, soro, anestesia e ansiedade.

Quando, às 23:15h daquele 26 de setembro, Eunice ouve o chorinho do seu bebê. O médico diz que é uma meninona. A enfermeira leva o bebê para Eunice ver e ela comprova: grande, gordinha, cabelinhos negros e pulmões a todo vapor!

Já no quarto, pensam num nome. Dão-lhe o nome de Tatiane. E a história estava apenas começando...

Mãe e pai, parabéns pra vocês também! Sem vocês nada disso seria possível!

sexta-feira, 24 de setembro de 2010

Primavera.


E eis que ontem, aos 9 minutos, a primavera chegou!

Ah, eu amo a primavera! Eu procuro "conviver" bem com todas as estações, mas a primavera tem um gostinho especial.

Flores, pássaros, frutas, calorzinho... e meu aniversário!...rs.

Espero que a estação das flores traga mais alegria e perfume a vida de todos nós!

Xô dias cinzas, frios, tristes...

E viva a vida!

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Chá de bebê.

Eu, no alto da minha experiência materna (Hahahahaha!), quero deixar algumas dicas pras mamães e futuras mamães. Tá, não é grande coisa, mas falo mesmo assim.

Sabem uma coisa que super recomendo? Chá de bebê. Ou só chá de fralda, a gosto da gestante.

Olha, um recém-nascido tem um cocô tão poderoso que deixaria até os mais ilustres cientistas de queixo caído. É um mama-dorme-arrota-chora-enche-a-fralda ininterrupto!

Então, ter uma ajudinha das amigas não é nada mal. E nem é vergonhoso, pelamor.

Eu comprei vários pacotes durante a gestação e fiz chá de bebê. Ajudou pra caramba, mas quando Ana Elisa completou 1 ano eu queria fazer outro, porque a grana que se gasta com fraldas é assustadora! Mas tudo bem, a gente parcela no cartão e é feliz...rs.

Há vários sites com ideias de brincadeiras pra esse tipo de reunião, e a gestante não precisa sair toda pintada da história (o que não foi o meu caso). A mulherada se diverte e, de quebra, colabora com os futuros papais que ainda tem outras trocentas coisas pra comprar.

Taí a dica.

terça-feira, 21 de setembro de 2010

Só um, hein.

"Mamãe, com essa carinha, vai me negar algo?"

Sabem quando tua mãe (avó, tia, madrinha ou afim) te fala: não cuspa pra cima que cai na testa? Pois bem, acredite, estão certas.

Eu sempre DETESTEI (em letras garrafais mesmo) o povo que vai ao mercado e abre algo durante a compra. Poxa vida, espera pagar e come.

Daí eu engravidei, pari uma linda menininha e ela começou a crescer. E é claro que sempre nos acompanhou nos dias de compra. E o que ela começou a fazer? Querer abrir um pacote durante a compra, claro.

Enquanto era na base do leite, dá-lhe uma mamadeira e pronto. Depois comecei a levar algum petisco e ela sossegava. Mas daí veio a fase de "eu quero e não adianta dialogar" e tive que ceder.

Só que nós sempre fazemos um trato, ela escolhe uma coisa pra comer e uma pra beber. E fora isso não abre mais nada (e olha que o carrinho tem várias coisas que ela ama, já que 99,9% dos itens são pra ela. Abafa o caso).

Fatalmente ela escolhe o biscoito de polvilho e um iogurte pra tomar. E fica feliz da vida, acompanhando a compra e deliciando suas escolhas.

Então aprendi: cuspir, agora, só pro lado.

sábado, 18 de setembro de 2010

Anos incríveis.

"Ai tia Tati, não pode sorrir na foto..."

Você tinha coleção de papel de carta?

Teria, então, um caderno de enquete?

Ou seria então um caderno com versinhos?

Ah, já sei, tinha uma pasta com recortes dos artistas que você queria namorar!

Hum, ou será que deu seu primeiro beijo num bailinho na garagem da casa de algum amigo da escola?

Se você disse "sim" pra uma ou mais alternativas acima você está ficando velho viveu nos incríveis anos 80!

Eu aaaaaaaaamo ter vivido tudo isso e me orgulho disso,  porque tudo está de volta, como se nunca ninguém tivesse usado aqueles óculos ridículos que as bandas do momento usam por aí.

Só que a molecada de hoje se acha suuuuuuuuuuper antenada, que está criando moda e as velhas tias estão por fora.

Exemplo? Minha sobrinha, de 14 anos. Tirando o fato de usar a franja caindo sobre o olho (como me irrita!), a roupa, os gostos, tudo se parece muito com uma tal Tatiane aos 14 anos.

Ela só não grita pelos Menudos ou pelos New Kids On The Block. Mas curte Restart, Justin Bieber e afins, que nada mais são que uma versão trash atualizada das bandas que eu curtia.

Grazadeus há coisas que não mudam, que só melhoram com o tempo, como U2, Jon Bon Jovi (se falar mal vai apanhar!), etecétera e tal.

Mas vamos deixar os emos adolescentes acharem que estão inventando tudo e ficarem felizes...rs.

P.S.: recadinhos do coração...rs.
1- Taty, adoooooooooro os comentários. Você não existe!
2- Shi, simbora marcar algo e colocar nossa foto na minha galeria! Adoro!

Beijos, bom findi procês!

quinta-feira, 16 de setembro de 2010

Amigos de novo.


Eu já falei um zilhão de vezes sobre amigos e sobre amizade. Mas eu não canso e ponto...rs.

Sabem o que é amizade?

- Você ouvir um desabafo sem dizer nada, só pra pessoa sentir-se aliviada;

- Chamar uma amiga pra passear no shopping, mesmo que ela nem saiba o motivo;

- Ligar pra uma amiga dizendo: vão te ligar do banco, te dei como referência. Punto e basta. Ela que decifre o código...rs.

- Você, pelos jargões, decifrar quem postou um comentário anônimo.

Amo muito tudo isso, e muito mais!

Ah, mamães e futuras mamães. A Ro, mãe do Noah, está fazendo MEGA liquidação lá no Minha Mãe Que Disse. Já reservei minhas peças. Corram!

Beijomeliga.

terça-feira, 14 de setembro de 2010

Tá na mesa.

"Acho que vou sentar nessa..."
Já repararam como as crianças estão crescendo mais depressa ultimamente e a gente envelhecendo mais rápido também?

Outro dia eu levava minha pequena no colo. Hoje ela desembesta a correr na minha frente. Mas tudo bem, choro e vibro ao mesmo tempo.

Ana Elisa aboliu o leite antes de dormir. Fiquei com medo, pois acho importante criança tomar, ao menos, um pouco de leite. Mas o leite da manhã continua firme e forte, ainda bem.

E já que não toma antes de dormir, toma mais quando acorda. Ao invés de 200ml de leite, são 300ml! Pois é, praticamente uma bezerrinha.

Durante a semana é só o leite e já vamos pra escola. Mas, e nos finais de semana? Ah, ela quer tomar café com a gente. E come de um tudo, o que tiver na mesa: se for biscoito, queijo, pão de forma, bisnaguinha (ah, ela aaaaaaaaama), pão francês, margarina, requeijão, etecéteraetal. Manda ver mesmo, sem dó nem piedade.

E acham que ela senta no cadeirão? Ha-ha-ha. Agora é na cadeira, como gente grande. E escolhe o que quer comer. E fica brava se eu falo que já comeu demais (temperamental é a mãe...rs). E quando está satisfeita diz que acabou e pula fora.

Ai ai ai... essa menina é uma delícia mesmo, pura ou com margarina!