RSS

sexta-feira, 26 de novembro de 2010

Limites.




Todo pai e toda mãe quer ser o melhor na categoria pros seus filhos. Certo? Mas, não devemos esquecer de uma palavrinha que anda muito em moda ultimamente. Limites.

Temos que ser amigos dos filhos, termos uma relação aberta pra que eles não tenham medo da gente. Mas tudo tem hora e lugar.

Filhos precisam de autoridade em casa, e não importa que idade tenham. Cada fase com a sua preocupação, mas sem esquecer quem é que manda. E não é no sentido de autoritarismo. Ser duro sem perder a ternura jamais...rs. Amigo sim, mas sem ser tratado como igual.

Pai é pai, mãe é mãe, e não somos um amigo da escola, não somos o irmão e muito menos um desconhecido. Respeito é bom e todo mundo gosta.

Se tivermos uma relação de carinho e respeito desde cedo com nossos filhos, eles saberão onde começa e onde termina seu espaço. E pode ser em que assunto for: quem escolhe a roupa, onde vão passar as férias, se pode ou não dormir no amigo, se é hora de assistir desenho ou o jornal, etc.

Por que estou dizendo tudo isso? Tenho visto cada caso de desrespeito com os pais que vocês ficariam horrorizados se eu contasse a metade. Só dois exemplinhos: filha adolescente que decide morar com o pai, porque a mãe cobra os estudos (sim, esse foi o motivo). Outro: filha criança que bate o pé e consegue o que quer da mãe, que a cria sozinha, e sai parecendo uma palhaça porque quer usar a tal roupa e a mãe não consegue dizer não.

Peralá. Onde estão os valores morais mesmo? Onde está aquele respeito? Na minha casa, sempre tive uma ótima relação com os meus pais, mas nunca fiz o que quis, muito menos na base da birra.

Tento passar esses valores pra minha filha. Se eu terei problemas disciplinares com ela, eu não sei. Vou deixar pra pensar nisso mais pra frente. Só sei que, plantando uma boa semente, fatalmente, a colheita será farta!

2 comentários:

Rose e Lisa disse...

Concordo plenamente com tudo Tati...

tirando a parte de deixar se vestir como quiser... kkkk eu até incentivo a Lisa a escolher as roupas que ela gosta... geralmente nunca combina cores e etc... quinta ela pediu para ir com a camisa do Brasil para a escola... e eu deixei de boa... só não deixo se for roupa de frio no calor ou vice versa...

no mais, assino embaixo do que vc disse...

bjs e bom final de semana...

Taty disse...

É, Tati... sei bem o que é isso! Giovanna deu pra querer fazer rabinhos e pega a necessaire cheia pra escolher. O detalhe é que ela escolhe, nada mais-nada menos, do que uns 6 a 8 rabinhos pra por e quer que eu ponha todos de uma vez, não importa se são iguais ou não e por aí vai. Dia desses eu já tava tão sacudo que fiz uma chiquinha e nela mesmo fui amarrando mais um monte de elastiquinho. Resultado: ficou feito a tal palhaça aí que vc citou no texto. E pior: fomos até a padaria assim...rsrsrs!
É fogo! Limites desde cedo é fundamental!

Postar um comentário