RSS

segunda-feira, 21 de novembro de 2011

Reciclar.




Todos nós sabemos da importância de cuidar do nosso planeta. Todos nós sabemos que pequenos gestos, somados, tornam-se grandes atos. Todos nós sabemos que, as nossas atitudes de hoje, refletirão no futuro dos nossos filhos.

Eu não faço compostagem em casa, mas separo o lixo orgânico dos materiais recicláveis. Isso é muito? Não. Mas é o que eu posso fazer direitinho, então já é um bom começo.

Minha filha nasceu numa casa onde não se mistura os lixos, não se joga papel no chão, não se arremessa papéis de balas pelo vidro do carro. E quando ela vê algo assim, critica. E o que eu faço? Fico quieta, porque ela está certa.

Me dói ver que ainda há gente mal educada nesse mundo, a ponto de abrir o vidro e arremessar uma latinha de cerveja vazia na rua. Me irritam aqueles que pensam que podem jogar lixo na rua pra "ajudar" o trabalho do gari.

E cadê as mães dessa gente, que não fez nada a respeito? Porque, vejam bem, eu fui criança nos anos 80, com tudo de mais delicioso e perigoso que tanto se fala. Mas minha mãe, desde sempre, nos mostrou o que é certo ou errado, e jogar lixo na rua é errado, desde que o mundo é mundo, ponto.

Custa guardar o papel da bala no bolso, até encontrar uma lixeira? E o mesmo pras latinhas, bitucas, etecétera? Pois é, eu acho isso tão fácil, mas nem todos pensam assim.

O que posso fazer em relação a isso? Bem, posso fazer a minha parte, na minha casa, com as pessoas da minha convivência e, sobretudo, com a minha filha. Meu bom exemplo (ou exemplo não tão ruim assim) será imitado por essa pequena cidadã de 3 anos, que um dia ensinará aos filhos dela, e eles aos filhos deles, e assim por diante.

Assim como eles imitam nosso jeito de andar, de falar, repetem o que ouvem, também imitam bons (ou maus) exemplos. Vamos pensar mais a respeito antes de dar de ombros, tá bom?

1 comentários:

Dri Viaro disse...

é isso aí, aqui em casa tb reciclamos tudo!!

beijos

Postar um comentário